5 dicas importantes para cuidar dos dentes de leite das crianças

shutterstock_77466160A preocupação com a saúde bucal, especificamente com os dentes, entre os adultos tem se tornado cada vez maior ao longo dos anos. E para que na fase adulta os dentes sejam saudáveis e livres dos mais variados problemas, os cuidados devem começar na infância, logo nas primeiras aparições dos dentes decíduos, popularmente conhecidos como dentes de leite.

Segundo o Dr. José Ricardo Muniz, odontologista e presidente da R-Crio, empresa brasileira especializada em extrair células-tronco do dente de leite, os pais devem estar atentos aos cuidados com os dentinhos, desde o tipo de creme dental utilizado, até os movimentos de escovação. “O incentivo para uma boa escovação e bons cuidados deve vir dos pais. Nos primeiros anos de vida, sempre acompanhar e ensinar o jeito correto de escovar os dentes, explicando os benefícios e as vantagens para que a criança já tenha em mente a importância disso”, afirma.

Com isso, o profissional listou cinco dicas importantes para cuidar dos dentes de leite das crianças, explicando os benefícios futuros à saúde bucal.

1 – Uma boa escovação do dente de leite: o que ela pode evitar?

O hábito de escovar os dentes regularmente e corretamente é fundamental para preservação da saúde bucal e sistêmica (em todo corpo) da criança. As doenças mais comuns ligadas à cavidade oral são a cárie e a doença gengival (periodontal). Ambas estão relacionadas à presença de bactérias sobre a superfície dos dentes com uma condição favorável para sua proliferação (má higiene). “Existem pesquisas comprovando que algumas lesões repetitivas em atletas, doenças cardíacas entre outras, podem ser provocadas por bactérias presentes na doença dentária, que acabam caindo na corrente sanguínea causando outros problemas fora da boca”, explica Muniz.

Outro ponto importante destacado pelo odontologista é o incentivo e a vigilância dos pais, para analisar se a higiene foi feita corretamente. “Os pais devem sim colocar a criança para escovar os dentes sozinha, para criar independência desse hábito, mas sempre com supervisão. Após a criança dizer que terminou, sempre verificar se está tudo bem e finalizar a escovação de maneira correta, explicando aos pequenos os benefícios desses cuidados”.

2 – Evitar produtos com álcool: é correto?

O profissional explica que é muito importante não só a criança, mas o adulto também, evitar ao máximo contato do álcool com a mucosa (gengiva e tecidos moles da boca), quer seja pelo consumo de bebidas ou pelo uso de soluções de bochecho. “O álcool age como um irritante local, podendo levar ao surgimento de lesões locais repetitivas nessa mucosa (tipo aftas). Essas lesões recorrentes aumentam significativamente o risco ao câncer para esses indivíduos”.

3 – Fio dental já pode ser utilizado nos dentes de leite?

“Não só pode, como deve ser feito”, exclama o odontologista. “Além de ser um instrumento para remover resíduos que se depositam entre os dentes, o fio dental, quando corretamente e sistematicamente usado, ajuda a desorganizar as bactérias presentes entre os dentes, de modo que elas não consigam provocar doenças”. Muniz explica que o hábito de usar fio dental na limpeza bucal deve ser iniciado logo na aparição dos primeiros dentes, para incentivar a criança a colocar essa prática na rotina durante a infância e por toda a vida adulta.

4 – Arrancar o dentinho em casa é recomendado? Se arrancado de forma errada, o que pode acarretar de problemas futuros?

Toda ação que envolve os dentes, sejam de leite ou permanentes, deve ser feita sempre sob a orientação de um dentista, que pode garantir mais cuidados e segurança para a saúde bucal. “Hoje essa relação passou a ser ainda mais imprescindível, uma vez que pesquisas recentes realizadas no dente-de-leite1024Brasil e no mundo revelam que a polpa (parte interna) dos dentes de leite é uma fonte rica de células-tronco jovens. Essas células vem sendo estudadas no mundo todo pois já é sabido que oferecem diversas possibilidades de utilização em terapias gênicas, quando comparadas a outras fontes de células-tronco. Elas poderão ser responsáveis pela regeneração de tecidos ósseos, cartilaginosos e musculares. Cuidar desse dente de leite hoje pode ser um benefício de extrema importância para o futuro da criança. Essas células-tronco podem ajudar no tratamento de diversas terapias, sendo uma segurança para a família”, afirma.

O odontologista ressalta o risco de algumas técnicas caseiras para extração do dente de leite. “Sempre escutamos as brincadeiras de ‘amarrar a linha na porta e no dentinho’ ou ‘morder a maçã para que o dente fique preso nela’. Porém essas técnicas, apesar de lúdicas, podem gerar pequenos traumas à gengiva da criança e, futuramente, acarretar no nascimento errado dos dentes permanentes”.

5 – Alimentação: no período de troca dos dentes, é recomendada uma alimentação especial, no caso, evitar dores ou até mesmo para ajudar a fortificar os novos dentinhos?

Muniz explica que a opção por alimentos saudáveis deve ser sempre o foco de atenção das famílias. É preciso que as crianças sejam bem esclarecidas em relação aos benefícios dessa escolha. Alimentos ricos em açúcar devem ser evitados ao máximo. “Durante a troca dos dentinhos, muitas vezes se faz necessária a escolha por alimentos mais macios de modo a dar maior conforto à criança. Contudo, o exercício da mastigação é fundamental para o melhor desenvolvimento facial da criança e por isso, deve ser estimulado”, finaliza.

Sobre a R-Crio

Fundada em 2014, a R-Crio é uma empresa especializada em expansão e criopreservação de células-tronco extraídas da polpa de dente de leite realizando procedimentos em todo o Brasil. Com técnica única e inovadora, totalmente brasileira, a R-Crio está sediada em Campinas, São Paulo e se coloca na vanguarda do modelo de bancos privados de dentes de leite. A R-Crio tem como objetivos oferecer serviços de qualidade que contemplem todas as etapas envolvidas entre a coleta das células-tronco e sua efetiva utilização no futuro. Buscará de maneira permanente incentivar, apoiar e praticar o desenvolvimento de pesquisas de credibilidade em terapias celulares, gênicas e suas aplicações.