Uma pesquisa feita pela revista Saúde, da Editora Abril, no final de 2014 revelou que os brasileiros não cuidam tão bem assim da saúde bucal.

indexUma pesquisa feita pela revista Saúde, da Editora Abril, no final de 2014 revelou que os brasileiros não cuidam tão bem assim da saúde bucal.

Para constatar isto, foram ouvidos 1818 homens e mulheres de todas as regiões do Brasil, sendo 78% pertencentes às classes A e B.

De acordo com a apuração:
- 65% das pessoas não trocam a escova de dentes após três meses de uso;
- 57% dos brasileiros levaram o filho ao dentista pela primeira vez entre os 2 e 11 anos;
- 48% da população não considera importante ir ao dentista regularmente;
- 38% das pessoas não usam ou usam raramente o fio dental;
- 29% acha natural perder os dentes na velhice;
- 27% da população não escovam os dentes após as refeições;
- 24% não escovam ao acordar;
- 23% não escovam antes de dormir.

A respeito destes dados é importante lembrar dois grandes problemas apresentados nos consultórios odontológicos diariamente são cárie e gengivas sangrando. Ambos os casos estão diretamente relacionados ao uso do fio dental – que é fundamental para remover os restos alimentares que a escova não alcança – e da escovação antes de dormir – que é a hora mais importante se realizar a higiene bucal com cuidado e atenção, pois a noite é a hora mais propícia para propagação de cáries.

Outro ponto alarmante é o de que quase metade da população não considera importante ir ao dentista regularmente, sendo que este é o único método de evitar doenças na boca.

Outras observações: 50% acham falsa a informação de que as cáries são transmissíveis, 30% acham verdadeiro e 20% não sabem. Ou seja, todas as respostas ensejam uma série de interpretações que podem ser úteis para o dentista observar o comportamento de seu paciente, repensar sua formação humana ou para a saúde pública adotar medidas na direção correta.

Se você faz parte de uma dessas estatísticas, o que acha de usar a pesquisa para repensar seus hábitos bucais?